Copa America

Antecedentes históricos da Copa América

Em 2020, será realizada a 47ª edição de Copa América que, pela primeira vez, será divida entre dois países-sede: Argentina e a Colômbia.  Com isso, a abertura do campeonato será no país de Messi, e o encerramento no James Rodríguez.

O torcedor pode estranhar a Copa América em dois anos consecutivos. Como todos se lembram,  em 2019 ocorreu Copa América aqui no Brasil, que tornou-se eneacampeão – nove vezes campeão – sob o comando do técnico Tite.

É que a edição de 2020 ocorrerá devido a uma mudança de datas estabelecida pela CONMEBOL. A partir de agora, a competição será apenas disputada em anos pares, de quatro em quatro anos. Com isso, passará a ocorrer nos mesmos anos que a Eurocopa. Assim, a próxima competição só ocorrerá em 2024, no Equador. 

Para a competição, serão convidadas duas seleções estrangeiras: Austrália e Catar.

Outras novidade é que a fase de grupos será divida entre duas chaves de 6: “Norte”, com Colômbia, Brasil, Equador, Peru, Venezuela e um convidado e “Sul”, com Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguai e convidado.

Campeões

O Uruguai segue sendo o rei da competição com 15 títulos,  sendo a sua última vitória no ano de 2011. É seguido pela Argentina, com 14, embora sua última vitória tenha sido no distante ano de  1993. O Brasil, atual campeão, conta com nove troféus. Logo atrás vêm o Paraguai, Chile e Perú (com 2), Colômbia e Bolívia (com uma).

Sedes

2019 foi a quinta ocasião que o Brasil foi o país-sede da Copa América, sendo superado pela Argentina (que a recebeu em 9 ocasiões), Uruguai, Chile (7), e Perú (6). Mais atrás estão o Equador (3), Bolívia (2), Paraguai, Colômbia, Venezuela e Estados Unidos (1).

O sistema rotativo da Conmebol fez a distribuição mais equitativa, e em 2020 será dividida entre Colômbia e Argentina.

Artilheiros

O maior artilheiro da história é Norberto Méndez, con 17 gols, seguido de Zizinho, con a mesma pontuação. Em atividade, o peruano Paolo Guerrero soma 11 e Eduardo Vargas, do Chile, conta com 10.

Participações

Em relação ao número de participações, o recorde é do chileno Sergio Livingstone, com 34 partidas, seguido por Zizinho, con 33; em relação à jogadores em atividade, vence Lionel Messi, com 21 partidas antes do início desta edição.